30 de mar de 2010

saudade...


Saudade de um tempo que nunca vivi,
De lugares onde nunca estive.
Saudade de momentos que nunca tive,
De pessoas que nunca conheci.
Saudade de uma época que nunca presenciei,
De sentimentos que nunca senti.

Apesar de ainda não te conhecer, sinto sua falta...

17 de mar de 2010

Alma nua



Sentimentos misturados
Turvam-me a visão.
Ouço vozes que não minhas.
Risos que não são meus...
Renuncio a mim mesmo,
já não sei quem fui,
Quem serei...
E nem me importa.
Estrangeiro em minha própria
terra, ando em silencio...
Por trilhas que levam
a lugar algum.
Sigo...
Sem deixar vestígios...
Contorno os rabiscos
Desenhados pelas ondas
que lambem a areia...
E caminho desenhando
Aleatoriamente
Figuras desconexas...
Assim...
Assim livre...
Assim, sem compromisso,
Assim, sem pressa...
Assim, sem volta,
Pés descalços...
Alma nua...

Gloria Salles

10 de mar de 2010

Rifa-se um coração.


Rifa-se um coração

Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste
em pregar peças no seu usuário.

Rifa-se um coração que na realidade está um
pouco usado, meio calejado, muito machucado,
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coraçãoque acha
Tim Maia estava certo quando escreveu...
“... não quero dinheiro, eu quero amor sincero,é isso que eu espero...".
Um idealista... Um verdadeiro sonhador...

Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva
a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional
sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando
relações e emoções verdadeiras.

Rifa-se um coração que insiste
em cometer sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nomede causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado.
Tantas vezes impulsivo.

Rifa-se este desequilibrado emocional que abre sorrisos
tão largos que quase dá pra engolir as orelhas,
mas que também arranca lágrimase faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado,ou mesmo
utilizado por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas
para quem quer viver intensamente
contra indicado para os que apenas
pretende passar pela vida matando o tempo,
defendendo-se das emoções.

Rifa-se um coração tão inocente
que se mostra sem armadurase deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário
dizer para São Pedro na hora da prestação de contas:
“O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,
só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal
quando ouvi este louco coração de criança
que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer"

Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se
por outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.

Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,
mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras
que ainda não foi adotado,
provavelmente, por se recusar a cultivar ares selvagens ou racionais,
por não querer perder o estilo.

Oferece-se um coração vadio, sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora do mercado,
faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra, constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta



*Clarice Lispector*

5 de mar de 2010

refletindo...



Curioso como as pessoas podem ser estranhas de momentos em momentos.

Tenho uma enorme dificuldade para fazer novos amigos, iniciar conversas, conhecer gente nova e etc. Por outro lado, os amigos já conquistados, levo-os para sempre comigo, estando por perto ou não.
Sabem aquelas pessoas que passam despercebidas, que aparentam não serem interessantes, falam pouco, sempre o necessário, porem observam tudo? Pois bem, acho que sou uma delas.
Muitas pessoas me dizem que sou introspectivo, fechado, calado de mais, que crio barreiras ou qualquer coisa do tipo, ate mesmo “misterioso”, que por sinal é uma palavra que passei o odiar. Mas eu não creio que seja esse o caso. Acredito ser uma pessoa que busca dar importância somente ao que é de valor, dos atos sutis e verdadeiros, de sentimentos a flor da pele, alias para entender o que escrevo, para me entender, não basta somente saber ler é preciso ir muito mais alem do saber sentir. É por isso que eu espero e procuro... Pessoas leitoras de olhares, sensíveis às vibrações da alma. Pessoas que consigam me tocar... Complicado? Também acho...
Mas devo confessar que por conta desta mesma questão, às vezes acabo deixando passar muitas coisas, deixando principalmente de falar muitas coisas, pensando estar me expressando por cada parte do meu ser... Enfim, palavras são muito necessárias às vezes... Palavras, palavras e mais palavras.
Amigos. Os poucos que conseguem me ver por trás das “barreiras” e das superficialidades do dia-a-dia. Estes poucos que trazem alegrias, me fazem sofrer, chorar, rir e por vezes ate desacredito das coisas que aprontam! Hehe.
Mas o que importa mesmo é que eles fazem me sentir Amigo.
Tenho pensado, do mesmo modo que me sacrificaria pelos meus amigos, à recíproca também seria bem justa... Não? Uma cobrança natural da amizade. Mas seria um erro de minha parte, pensar que todos definem a amizade e a cultivam da mesma forma que eu (confesso que já fiz isso), e por isso mesmo, alguns acabam se perdendo no caminho.
É! Isso é a vida. E para cada porta de amizade que fechamos sofridamente, por incrível que pareça, sempre há pequenas surpresas esperando por detrás de outras portas que jamais sonhamos em abrir.
As pessoas são diferentes, muito diferentes, e serão sempre. Cada qual com seus conceitos, visões, experiências e opiniões diferentes. Enfim, creio que por vezes me faltou um pouco mais de atenção á essa questão... Aprender a lidar melhor com isso e conseqüentemente manter sempre do meu lado os Amigos de verdade.